Entre “Adeus ano velho, feliz ano novo” e “Dingou béu, dingou béu acabou papel” a música deste fim de 2018 deveria ser aquela poesia do baiano Ricardo Chaves que embala os nossos carnavais há 12 anos: “Acabou-ou / Acabou / Acabou-ou / Acabou / Acabou / oooooooou”.

Ufa! Sobrevivemos por mais um ano e seguiremos a aventura sem grandes eventos programados para 2019, mas a gente sabe que sempre aparecem grandes acontecimentos repentinos pra provar o quanto aguentamos as porradas. E aguentamos!

Que entre mortos e feridos sejamos os que morrerão… de rir, como alívio pra aguentar as coisas que são sérias de verdade.

Entre “Que a paz esteja convosco” e “Boas Festas”, eu seguirei “Ao Infinito E Além!”.

Ouça nossos podcasts onde quiser