Podcast Texto Sentido: um espaço para interpretação dos mais variados textos, poemas e poesias.

Se você tem algo escrito de sua autoria ou de alguém que concorde que seja publicado aqui, envie para o e-mail: podcasttextosentido@gmail.com.

Hoje, no episódio de número 4, um texto de Raphael Kepler chamado “As Letras me Dominam”.

Vamos ouvir? Vamos… sentir?

 

As Letras me Dominam

Eu escrevo pela solidão de ontem.

Eu sonho com as cores, verde musgo e café quente. Eu não escrevo para ser. Eu escrevo para o vazio. Para os nomes que nunca falarei.

Quando a chuva me assombra e o frio me liberta. Quando os homens andam em linha. Quando as freiras despertam úmidas de madrugada. No fim de um filme amargo. No sabor de uma indecisão. Na padaria ou no ponto. É onde eu escrevo.

E minhas linhas são corretas e tortas. Meus receios cobrem letras e minha alma vaga em folhas amareladas. Diários de outrora. Vontades escondidas.

Eu sei dos sonhos que o vento levou, e das horas perdidas numa rua do centro. Eu sei que nunca serei meu alvo, mas de flecha me orgulho. Sou inconstante, inquieto e medroso. Sou piloto de fuga na frente do volante.

Sou fim de noite num boteco e dia novo em cachoeira.

E por isso eu escrevo. Pois não sou o que vejo.

E as letras me dominam.

Belas e ligeiras palavras que me despertam.

Pé na mesa sem culpa.

Eu não sei da solidão da moça. Não escrevo por deleite, muito menos por vontade. A tinta é sangue em minha veia, esses clichês da modernidade.

Tirar a roupa do varal.

Levar o lixo pra fora.

Ter que dormir cedo.

Acordar meio-dia.

Eu escrevo pelo fim, por outro eu que encontrarei.

Sonho, tesão, gozo na barriga.

É tudo cinza aqui fora, e desafinado é o coração.

Só escrevo o que não sei, pois detesto ter razão. O vazio é minha musa, e com ele sou completo. No tédio de quarta-feira eu me jogo nos papéis.

Tarde é feita de memórias. Aquarela de poeta.

Por isso as palavras me transbordam e se perdem na lixeira.

Aqui dentro tem brinquedos. Olhos de vidro e pelo liso.

Aqui dentro tem mentiras, frases feitas e absorventes usados.

Vem aqui no fim do dia. Vem aqui me alegrar.

Aqui dentro tem promessas de um tempo sem paixão.

Aqui dentro eu me perdi, aqui dentro não há nada.

É por isso que escrevo.

Pois não sei me explicar.

Texto de Raphael Kepler

Para seguir nas redes sociais:
Curta a página do podcast TEXTO SENTIDO no Facebook
Assine o canal TEXTO SENTIDO no Youtube
Siga o @podcasttextosentido no Instagram
Siga o @podtextosentido no Twitter
Curta a página do Antonio Viviani no Facebook
Siga o @antonioviviani no Twitter
Siga o @antonio.viviani no Instagram

Assine o FEED do TEXTO SENTIDO:
Para ouvir o TEXTO SENTIDO no seu agregador de podcasts preferido, clique aqui e assine o nosso FEED!

Assine e avalie nosso podcast no iTunes:
Se você usa o iTunes no seu computador, tablet ou smartphone, assine e avalie nosso podcast clicando aqui!

TEXTO SENTIDO no Spotify:
Caso prefira ouvir o TEXTO SENTIDO no Spotify, é só clicar aqui e assinar o nosso podcast no serviço de streaming!

E-mails:
Mande seu feedback pra gente através do e-mail podcastextosentido@gmail.com!

Publicidade:
Entre em contato e saiba como anunciar sua marca, produto ou serviço em nossos podcasts.

Nossos parceiros

Mundo Podcast Jovem Nerd Rede Geek Pelada na Net Café Brasil Papo de Gordo Decrépitos Troca o Disco Pod Tudo no Cast Eu Tava Lá Confins do Universo 1986 Podcast Por Onde Vamos Marsupial Editora Rebobinando

Equipe Rádiofobia

Rádiofobia Rádiofobia Rádiofobia Alotenica Curso de Podcast Rádiofobia Network Leo Lopes John Vee Jones Velho e Chato Jef Barbosa Pedro Pallotta Jéssica Guizão Tenso Ira Croft

Curta nossa página