Um poema lindíssimo de Bruna Tang é o que teremos no nosso Podcast Texto Sentido desta semana.

Quantas vezes damos atenção àquele simples objeto com o qual convivemos diariamente? Uma pia, um sofá, uma cama e… que tal, uma porta?

É sobre isso que convidamos a todos para ouvir e sentir.

É “Sobre Portas”.

Se você tem algo escrito de sua autoria ou de alguém que concorde que seja publicado aqui, envie para o e-mail: podcasttextosentido@gmail.com.

 

Sobre portas

Sempre gostei de admirar portas
E claro, com a curiosidade de quem quer saber o que se passa por detrás delas.
Poderia me admirar por jardins, quintais, varandas
Talvez até por mezaninos ou enormes janelas…
Mas para toda pessoa torta,
Assim como eu, o que realmente importa é:
⁃ O que existe por trás da porta?!
E se acaso a porta se abre,
fará ela barulho?
E se esconde entulho?
Se abre, clareia, se fecha, escuro.
Por que vamos abrir a porta
Se alguém chega ou vai embora?
Pra mostrar assim que desejamos a volta
E que nesse retorno não haja demora.
A vida começa sempre assim
Passamos pela porta em rumo do dia
Dinheiro, trabalho, carros e meios-fios…
Quando voltamos passamos pela mesma porta
A mãe, o pai, o filho.
Ela ao se abrir acredita que cabe
Mais luz, mais vento
Por trás da porta não existe relento
Dorme toda família, aposentos.
Será que existe amor, existe alegria?
O que a porta esconde é magia
Ela protege, abraça, abriga
O que do lado de fora só se imagina,
Rotina.
E por fim, se a porta deixa de receber, acolher
Nenhuma brecha, nenhuma visita
Irão mais acontecer.
Nem a brisa, nenhum feixe conseguirão adentrar
Como um sinal de que ninguém mais vive ali e que morta a porta está!

Bruna Tang

Ouça nossos podcasts onde quiser